Visit Gijón » Destaque » Gijón está no menu

Gijón está no menu

A felicidade come-se e bebe-se. Está escrito e toda a gente já alguma vez o experimentou. E as cidades também se comem. Comem-se com a vista e o ouvido e, sem dúvida, comem-se graças à sua gastronomia. Entram pelos olhos e pela boca. Uma cidade é um menu de oportunidades de lazer, cultura, paisagens, mas também é um menu no sentido textual da palavra. Cada cidade tem a sua ementa de atrações e tem de ter a sua ementa de refeições e bebidas para estar no menu das rotas turísticas, das escapadelas, das agências de viagem e dos planos de férias.

Por isso, Gijón é uma das cidades que conseguiu abrir caminho pelo competitivo e duro mercado turístico, porque tem um menu amplo e vasto, um menu de carnes e peixes, de mariscos e produtos da terra, além de um plantel de restauradores de alto nível e uma oferta de estabelecimentos que permitem saborear a gastronomia local com a mesma intensidade tanto numa pequena tasca de bairro como num restaurante de muitos garfos e a craveira do próprio Guia Michelin

Em todos e cada um deles, há alguma coisa para comer e algo a recomendar. Há quantidade e qualidade com 2 restaurantes que estão no Guia Michelin, 3 que são membros das “Mesas de Asturias”, 7 que aderiram ao Gijón Gourmet, mais de 70 estabelecimentos comprometidos com a qualidade, além de uma lista quase interminável de casas de sidra onde seguir o rasto e a rota da sidra, a nossa “bebida nacional” por antonomásia. Pode-se visitar os lagares onde esta maravilhosa bebida é criada a partir da maçã e o visitante tem, além disso, a opção de entrar em mais de 20 eventos gastronómicos anuais. Já para não falar do setor dedicado aos doces e sobremesas, outro autêntico “filão” gastronómico que tem vindo a explorar-se nestes anos.

Um requintado oricio.


 

As associações de hoteleiros colaboram estreitamente com o propósito de Gijón continuar a estar no menu turístico nacional e a atrair quem quiser deixar conquistar-se pelas cidades com os cinco sentidos. Um dos motivos pelos quais Gijón é uma cidade acolhedora é porque é fácil de passear por ela, tem recantos de uma grande beleza mas, além disso, tem zonas de bares e restaurantes nas quais o visitante se sente como em casa, ajudado por um bom atendimento profissional, excelentes produtos, variedade e qualidade.

Assim dizia Ferrán Adrià da gastronomia de Gijón.

Ferrán Adrià em Gijón.

 

Seria simplificar muito as atrações desta cidade se se reduzisse tudo à boa mesa; Gijón tem muito que oferecer visto que a sua ementa como destino turístico é ampla, mas há épocas do ano, como esta em que agora estamos, em que a gastronomia ganha relevo com uma das joias do nosso menu de inverno: o oricio.

“Lá pelo mês de março costuma ser a melhor época para a tradição de Gijón, os oricios (ouriços do mar), que aqui se consomem em quantidade, dado que os naturais são autênticos amantes deste marisco saboroso, barato e subestimado noutras latitudes (…)”

Eduardo Méndez Riestra. Comer nas Astúrias. Madrid, 1980

 

Publicar um comentário


Se os nossos artigos lhe interessam, não se esqueça de subscrever o nosso feed RSS